TRANSPARÊNCIA: Por que Fernando Pessoa não abre o portal da transparência?

Quem não lembra da campanha do então candidato Fernando Pessoa, toda embasada em denúncias de supostos funcionários fantasmas extraídos do portal da transparência do município? Acho que todos lembram, não deu ainda pra esquecer, claro. Do alto dos palanques, sempre impondo o dedo em riste para impressionar os que o viam, Pessoa pregava a ordem, a moralidade e a ética dentro do serviço público, inclusive prometendo de levar ao conhecimento da população tudo que entrasse e saísse de recursos públicos gastos com pessoal, condenando de morte a atitude da então gestão, classificada por ele como uma escória.

Pois bem, Fernando Pessoa (SD) não é mais aquele de antes, quase todas suas promessas estão indo pro brejo, o portal da transparência é aberto somente uma parte, aquela que não compromete nada da administração e nem de sua pessoa, ou seja, somente as informações dos funcionários efetivos estão disponíveis, aqueles que todos já conhecem de có e salteado quem são e quanto ganham. E os demais, os funcionários comissionados ou contratados, aqueles que a ex-gestão escancarava pra todo mundo vê, mesmo que houvesse erros e viesse a escandalizar ela própria, mas o certo é que estavam lá, todos acessavam e viam o que havia de claro e ‘obscuro’.

Época em que pregava a moralidade e boa conduta política

Ironicamente, contrariando o que pregava e a boa conduta pública, Pessoa se exime de abrir a página onde estão todos os comissionados, gente que pode até estar ganhando rios de dinheiro, gente que não esteja trabalhando, os famosos fantasmas, que antes ele mesmo condenava, e até pessoas de outras cidades, que não é mais segredo pra ninguém, já que parte do quadro de funcionários é formado por pessoas de Barra do Corda, gente que antes compunha o quadro administrativo do ex-prefeito Erik Costa, seu cunhado, e que aqui estão alojados por um suposto pacto entre os dois. Agora será que Barra do Corda veio mesmo pra deixar um rastro de tuntunenses dempregados?

Abrir o portal integralmente e ser publicamente desmoralizado, já que estaria contrariando tudo que pregou, seria o brutal medo do prefeito tuntunense? O jovem prefeito tem a obrigação de entender que essa ferramenta que dá acesso a população de conhecer os gastos da máquina pública com pessoal, não é uma convenia sua, mas sim uma lei, toda embasada na Lei de Acesso à Informação (LAI). Diante da dolosa omissão do Poder Público Municipal, onde estão os órgãos de fiscalização, entre eles Câmara Municipal e Ministério Público? Já estão tomando as devidas providências? Se não estão tomando alguém deve provocar, e esse papel cabe hoje também a oposição política, que deve procurar o Ministério Público, a Procuradoria de Justiça e todos os órgãos de fiscalização pra saber se deve prevalecer a lei ou o autoritarismo do prefeito Fernando Pessoa.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email