PERSEGUIÇÃO: Prefeito Fernando Pessoa aciona a justiça e ‘obriga’ pequenos produtores a entregar trator
Prefeito Fernando Pessoa destrói sonho de dias melhores dos trabalhadores rurais do povoado Tabocal

O inconformismo do prefeito Fernando Pessoa (SD) em ter perdido uma simples eleição de associação está indo além do que seus próprios aliados imaginariam, tomar o único bem, um trator agrícola, de um pequeno grupo de pobres trabalhadores rurais, que tem como o único meio de vida a agricultura.

Para satisfazer seu ego e ver a possível miséria dos pequenos produtores ruais do Povoado Tabocal, após a decepcionante derrota de seu candidato à presidência da entidade para um candidato aliado político do ex-prefeito Dr. Tema, o prefeito, como suposto ato de vingança, decidiu ingressar com uma ação (Tutela de urgência/liminar) reivindicando a devolução do trator e forçando a paralisação dos trabalhos dos associados, logo no momento em que eles mais precisam.

A decisão liminar foi deferida nessa terça-feira (06) pelo juiz da Comarca, que estabelece o prazo de 72 horas para que o veículo agrícola seja devolvido à posse do município. Não se questiona aqui a decisão da justiça e a legitimidade da posse, pois toda população é mais que sabedora que o trator foi uma doação exclusiva, via Codevasf, do deputado Aluisio Mendes ao próprio município, que, por sua vez, repassou aos produtores daquela associação, tendo por objeto fomentar o desenvolvimento e a produção, já que os trabalhadores ainda cultivavam de forma artesanal, que para os dias atuais é um grande atraso.

Depois que foi concluído o processo eleitoral na associação do povoado, realizado no início desse ano e declarada a vitória do candidato do ex-prefeito e também aliado de Aluisio Mendes, que inclusive teve o envolvimento direto de Fernando Pessoa pedindo voto de casa em casa na povoação, que não surtiu efeito, a perseguição para tomar o maior bem dos lavradores se intensificou, passando a ser um embate pessoal, como se fosse uma questão de honra em ver os trabalhadores de mãos vazias e voltando a trabalhar de forma rudimentar, ou seja, no cabo do facão.

Antes de ingressar na justiça, Fernando Pessoa já havia encaminhado uma comunicação (ofício) requisitando a devolução espontânea, o que foi expressamente negado por toda comunidade, hoje dependente do trator na maioria dos serviços, principalmente para arar a terra.

O que não se entende, até agora, é que tipo de política quer adotar o prefeito, pregador do novo, da mudança que iria qualificar a vida das pessoas, independentemente de sua cor, sexo, religião, ideologia política, pobreza etc. Mas o que se vê não é isso, é uma completa demonstração de rancor, talvez acompanhado de despreparo e falta de amor ao próximo. Política não se faz destilando veneno e perseguindo quem quer que seja, mas sempre procurando satisfazer os anseios do povo, principal alvo de uma gestão que pensa com equilíbrio.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
guest
5 Comentários
Antigos
Novos Mais Votados
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Jkb
Jkb
7 meses atrás

Está só começando!!!!. É o “novo”, é a mudança!!!.kkkk.

zarl j meneses
zarl j meneses
7 meses atrás

É o novo q tá só começando, quer tomar, como se fosse particular dele, mta desumanidade, não podemos pensar em si próprio, isso chama-se injustiça, maldade e cegueira não dos olhos, mas do coração ❤

Carlinha p meneses
Carlinha p meneses
7 meses atrás

É o novo q tá só começando, quer tomar, como se fosse particular dele, mta desumanidade, não podemos pensar em si próprio, isso chama-se injustiça, maldade e cegueira não dos olhos, mas do coração ❤

Chico Araujo
Chico Araujo
7 meses atrás

Confesso Não li ainda o processo é o ter da decisão do magistrado. Mas, se houvesse o menor indício de perseguição política, o juiz não teria acatado o pleito do prefeito. Entendo assim

Raul costa
Raul costa
7 meses atrás

É Muita Arrogante esse prefeito rapaz pra quer levar o trator, eu conheço lá o trator trabalhar pra o povo.
Tudo pq perdeu a eleição laboro Oséas do Tabocal.
Esse não é novo, é dos velhos arrogante e prepotente.
Triste